bh | sp | rio - eng | port

O CINEMA DO OUTRO

24 filmes/mostra mundial. São muitas nações, muitas línguas, o cinema do mundo e as suas representações. 12 países. O diferente, o outro, o cinema ainda como um lugar para a subjetividade.

Aqui há lugar para os ícones. Diretores consagrados, mas que estão sempre se renovando, ajudando a oxigenar sua arte: Hong Sang-Soo (com o título mais delicioso e simples: Hahaha - prêmio do júri na mostra Un Certain Regard, em Cannes 2010); Koji Wakamatsu sempre polêmico e inesquecível com Caterpillar; Clare Denis, a mulher outsider do cinema francês, com White Material; e, um dos indies mais indies que o cinema americano já produziu, Todd Solondz revisitando a si mesmo: os personagens de Happiness, 12 anos depois, em A Vida Durante a Guerra.

Há lugar para a nova onda cinéfila. Vale experimentar os romenos. Cinco diretores fazem em Contos da Era Dourada humor de si mesmos e da era Ceausescu. Em A Garota Mais Feliz do Mundo, Delia Cristina prova como é difícil a felicidade; e Terça-feira, Depois do Natal, participante da seleção oficial da mostra Un Certain Regard no Festival de Cannes, e seu triângulo amoroso.

Para o legítimo cinema indie made in the USA. Cinco filmes, novos diretores e uma prova de vitalidade. Mobília Mínima, prêmio de Melhor Filme de Ficção no festival americano SXSW, dirigido pela artista Lena Dunham e protagonizado por ela, sua mãe e sua irmã, revela o ser desajustado que mora em todos nós. Clima Frio, de Aaron Katz, traz a bela fotografia de Portland num filme de mistério; Alguns Dias São Melhores que Outros é a estreia de Matt McCormick na direção, recém lançado já participou dos festivais de SXSW e Seattle. O cômico Amor e Ódio, de Bryan Poyser, que estava na competitiva do Sundance deste ano; e O Assassino Sentimental de Máquinas estreia de Omar Rodríguez-López, líder da banda Mars Volta, rodado em El Paso, no Texas.

Aqui também é o lugar do desconhecido. Mas com títulos que por si só já causam um desejo de ver. Tem os intrigantes: Minha Mãe é uma Puta, um filme sul coreano, meio dark, meio cult. Os proféticos: O Coração dos Sábios Vive na Morada da Tristeza. Os enigmáticos: Algum Lugar entre Aqui e Agora...

A Mostra Mundial é o lugar para o cinema de muitas línguas, não apenas o cinema da similaridade, mas para o vasto e interessante cinema do outro. (D.A)