16 a 30 de setembro
sp
pt

Mostra

Mundial

Um filme de Alain Cavalier, Jem Cohen ou Hong Sang-Soo? Larry Clark, Peter Van Houten, Wang Bing ou um filme da Estônia? O cinema contemporâneo em toda a sua diversidade está na Mostra Mundial que apresenta filmes de novos diretores, cineastas renomados e muitos lançamentos. O programa exibirá 25 filmes (23 fazem estreia nacional), de 16 países.

Entre os muitos destaques, direto do Festival de Cannes: Cemitério do esplendor novo filme de Apichatpong Weerasethakul, e o romeno O tesouro de Corneliu Porumboiu. Outro destaque, uma homenagem a uma lenda, lançada no ano do centenário de seu nascimento, Eu sou Ingrid Bergman de Stig Bjorkman.

A Mostra Mundial traz ainda dois filmes da Estônia: o premiado Na ventania de Martti Helde e Paisagem com várias luas de Jaan Toomik; do cinema japonês, sempre presente no Indie, os novíssimos filmes de Sogo Ishii (É isso!), Nobuhiro Yamashita (La la la at Rock Bottom) e o documentário de Erik Shirai (O nascimento do saquê).

Do cinema americano, o Indie exibe Tangerine de Sean Baker, lançado no Sundance e filmado com a câmera de um iPhone 5s; e ainda Para sempre no espaço de Greg W. Locke realizado com inacreditáveis 800 dólares; vale ainda ver Jason Schwartzman em Sete irmãos chineses de Bob Byington.

Como não destacar também o filme realizado há 10 anos atrás, e só agora finalizado, em que o diretor Ju Anqi acompanha a viagem de um poeta pelo interior da China, o especial Poeta em viagem de negócios.