São Paulo / Entrada Franca
21 SET - 22:20 - CineSESC  |  28 SET - 19:30 - Cine Olido
Fotos/      Assista ao trailer/

Crônicas Sexuais de uma Família Francesa
Chroniques Sexuelles D’une Famille D’aujourd'hui

Pascal Arnold & Jean-Marc Barr / França / 2012 / Digital / 77 min. / Classificação: 18 anos

Sinopse

A celebração da sexualidade em três gerações. Geralmente, durante o jantar em família, fala-se sobre tudo, exceto sobre sexo. Essa rotina é perturbada quando o filho caçula, Romain, é pego se masturbando e filmando a cena com seu iPhone durante uma aula de biologia. Ele acaba sendo suspenso da escola. A partir de então, o sexo, que era um assunto tabu na casa, torna-se, subitamente, um tema de interesse real, levando os espectadores a se envolverem na vida íntima de cada pessoa da família: os pais, os filhos de 18, 20 e 22 anos e o avô.

  • Roteiro /

    Pascal Arnold
  • Fotografia /

    Jean-Marc Barr
  • Edição /

    Teddy Vermeulin
  • Elenco /

    Mathias Melloul, Valérie Maes, Stephan Hersoen, Leïla Denio, Nathan Duval, Yan Brian, Adeline Rebeillard, Gregory Annoni And Laëtitia Favart, Philippe Duquesne
  • Sobre o diretor

    Jean-Marc Barr nasceu em 27 de setembro de 1960, estudou filosofia na Universidade da Califórnia, em Los Angeles, no Conservatório de Paris e na Sorbonne. Barr é conhecido principalmente como ator, mas também é roteirista, produtor e diretor de cinema. Começou a trabalhar com teatro na França, em 1986. Logo vieram alguns papéis na televisão e no cinema, em particular Esperança e Glória (1987) de John Boorman, e, em seguida, a escalação para o tremendo sucesso de Luc Besson: Imensidão Azul (1988). Em 1991, sua participação em Europa, do diretor dinamarquês Lars von Trier, marcou o início de uma longa amizade e de uma significativa relação profissional cuja parceria inclui: Ondas do Destino (1996), Dançando no Escuro (2000), Dogville (2004) e Manderlay (2005). Barr estreou em 1999 como diretor em Lovers. Esse filme se tornou a primeira parte de uma trilogia composta por Too Much Flesh (2000) e Being Light (2001), ambos co-dirigidos por Pascal Arnold. Pascal Arnold começou sua carreira no cinema primeiramente como roteirista. Em 1998, Pascal Arnold e Jean-Marc Barr criaram a empresa Toloda para produzirem e dirigirem seus próprios trabalhos.

    Assista ao trailer